EMA Pantanal espera ano melhor com recuperação da economia

Um ano após colocar o frigorífico FRIMA em operação e iniciar a comercialização de carne bovina com marca própria, a EMA Pantanal já avalia aumentar a capacidade de abate. “É um plano para dois ou três anos, mas essa fase inicial, mesmo com as dificuldades normais de um negócio novo, tem sido positiva”, explica o diretor Daniel Marinho. A unidade, instalada em Corumbá/MS, tem capacidade para 120 cabeças/dia e trabalha sem ociosidade. Praticamente todo o gado abatido no FRIMA provém das fazendas da EMA Pantanal, que conta com um seleto plantel de 28 mil matrizes.

A EMA é parceira da CFM desde 2000. “Nos identificamos com os princípios do programa de melhoramento genético da CFM, focado na produção a campo, fertilidade e precocidade, com resultado econômico no gancho. Já compramos muitos touros Nelore CFM e, mais recentemente, passamos a adquirir sêmen, touros top e alguns reprodutores para repasse. A pecuária brasileira tem muito a ganhar com essa genética”, destaca Daniel Marinho.

Em um cenário econômico melhor, com exportação de carne bovina em alta, inflação sob controle e perspectivas de aumento da demanda interna por carne, a EMA Pantanal espera que 2018 seja melhor. “Os sinais de robustez da economia nos dão confiança na retomada, o que terá reflexo em todos os segmentos da cadeia produtiva: da genética ao consumo final”, comenta Daniel.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *